Prefeitura mantém serviços assistenciais após dois meses da enxurrada no Parque Rodoviário

Famílias seguem inclusas no programa Cidade Solidária

Dois meses a enxurrada que atingiu o Parque Rodoviário, na zona Sul de Teresina, a Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) segue mantendo a assistência às famílias afetadas pela tragédia. Todas as 132 famílias afetadas pela tragédia do Parque Rodoviário, quando uma enxurrada atingiu a região durante o período de fortes chuvas, receberam atendimento da Prefeitura.

Atualmente, pelo menos 73 permanecem inclusas no programa Cidade Solidária, que atua oferecendo moradias, por meio do aluguel social ou acolhimento remunerado. As famílias cujo perfil social e financeiro não se adequaram nas exigências para receber o benefício receberam cestas básicas, além de kits de limpeza e acolhimento.

Dona Raimunda Ferreira, ambulante e moradora do Parque Rodoviário, conta que a inclusão dela e da família no Cidade Solidária minimizou os danos causados pela enxurrada na vida da família. “Após a tragédia, nós não podíamos nem sequer nos reerguer por nós mesmos. Porque trabalhava na venda de alimentos e a água que invadiu nossa casa estragou tudo o que eu iria vender. Estamos inclusos, recebendo o benefício, além de cestas básicas. E isso está nos ajudando a nos manter firmes e nos reerguer”, ressalta a ambulante.

A Gerente de Proteção Social Básica (GPSB) da Semcaspi, Kânia Britto, ressalta que a Semcaspi mantém uma de suas unidades como ponto base de atendimento das vítimas da enxurrada. “É importante que a comunidade saiba que o Cras Sul IV continua lá, presente e a Semcaspi também. Eles têm nossos contatos e somos facilmente localizados. Participamos de uma audiência pública, na qual se identificou que não havia nenhum descumprimento do que foi acordado, dentro dos nossos compromissos e do nosso fazer”, reforça Kânia Brito.

Apesar de já passados os dois meses e da natureza eventual de benefícios oferecidos, como o Cidade Solidária, todos os programas ainda estão à disposição da população de acordo com a demanda, indefinitivamente. O cadastramento necessário para inclusão no benefício pode ser feito no CRAS Sul IV, que fica na rua São Raimundo Nonato, bairro Redenção. “A Prefeitura mantém seus esforços para recuperar aquela comunidade. Através da assistência social, que se mantém presente, agora na entrega dos benefícios eventuais, como cestas básicas e kits acolhimento e kits limpeza. E mantemos também o CRAS da região como ponto de referência para o atendimento da região”, complementa o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira.

Projetos para reconstrução de moradias do Parque Rodoviário estão orçados em R$3,5 milhões

Estão orçados em R$3,5 milhões os projetos para construção e reforma de moradias no Parque Rodoviário, onde casas foram atingidas por uma enxurrada no mês de abril passado. O prefeito Firmino Filho busca recursos em Brasília para iniciar as obras. As formas de atendimento às vítimas foram tema de uma audiência pública nesta segunda-feira, 20, na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa.

O secretário Marco Antônio Ayres, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), explicou na audiência como são os projetos.  “A Prefeitura de Teresina, por meio da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sul, já fez três projetos de recuperação que visam a construção de 30 casas, reforma de 44 moradias e a construção de um parque. O prefeito Firmino Filho já esteve em Brasília tentando conseguir recursos e ainda aguardamos laudos técnicos que nos garantam iniciar qualquer intervenção segura naquela área”, disse.

Participaram da audiência pública os secretários da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), Marco Antônio Ayres; da Secretaria Municipal de Cidadania e Políticas Integradas (Semcaspi), Samuel Silveira; o superintendente da SDU Sul, Paulo Lopes e o procurador do município Ricardo Almeida Santos.

Para atendimento às famílias, a Semcaspi desenvolve o projeto ‘Família Solidária’ e ‘Residência Solidária’. “Na primeira modalidade, são famílias que acolhem outras famílias, e na segunda modalidade, as residências são alugadas. A Fundação Municipal de Saúde (FMS) presta atendimento na área da saúde e a Defesa Civil acompanha áreas consideradas vulneráveis.

A SDU Sul executou os serviços emergenciais de recomposição dos aterros das ruas que foram atingidas pela força das águas, inclusive, com a reconstrução de sarjetas, lajes da galeria, descidas de água e dos calçamentos danificados.

 

CRAS Sul IV é ponto de referência para famílias do Parque Rodoviário

Após um mês de atendimento das famílias atingidas pela enxurrada no Parque Rodoviário, a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) inicia a intensificação dos atendimentos oferecidos às 132 famílias vítimas da tragédia. A equipe técnica do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) Sul IV será responsável pelos encaminhamentos para a rede de assistência social e outros serviços, como educação e saúde.

Segundo Kânia Brito, Gerente de Proteção Básica da Semcaspi, o atendimento continuará, conforme a demanda. “No Parque Rodoviário, nós não temos prazo de encerramento do acompanhamento. Nos demais casos, o Cidade Solidária deveria ser de, no máximo, seis meses. Só que lá, o prazo será de acordo com a necessidade de cada família”, ressalta.

O Ministério Público e o Conselho Regional de Psicologia estão entre as parcerias firmadas desde o atendimento inicial, que assumem papel maior durante a nova etapa. “A população do Parque necessita de atendimento psicológico, após a tragédia. Além disso, estamos fechando parcerias com faculdades, que estão se colocando à disposição, para colaborar no atendimento”, continua Kânia.

Se constatada como necessária a continuação de oferecimento de benefícios eventuais, as famílias seguirão recebendo cestas básicas, kits de limpeza e acolhimento, além de encaminhamentos a programas de acolhimento remunerado, como o Cidade Solidária. O cadastramento necessário para inclusão nos programas assistenciais pode ser feito no stand montado pela Semcaspi, situado na Praça Rita de Menezes, conhecida como Praça do Parque Rodoviário. O ponto também recebe doações voluntárias de populares e instituições interessadas em colaborar.


Doações no Parque Rodoviário

Além do ponto de recolhimento da Semcaspi, na praça do bairro, o CMEI Nossa Senhora Maria Imaculada está recebendo as doações da população, que vão de alimentos, a roupas e produtos de higiene pessoal. A Igreja Matriz da Morada Nova também é ponto de arrecadação desses produtos.

 

Aumenta o número de famílias do Parque Rodoviário inclusas no Cidade Solidária

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) divulgou hoje (26) dados sobre as famílias atingidas pela enxurrada no Parque Rodoviário, zona Sul de Teresina. Foram 132 famílias atingidas e que foram repassadas para os programas assistenciais da Prefeitura.

Já não há mais famílias no abrigo coletivo montado na Igreja Católica do bairro. O Programa Cidade Solidária segue ampliando o atendimento os afetados, por meio do aluguel social e da distribuição de kits. O programa, que promoveu o acolhimento de 64 famílias, agora contempla 73 famílias. Além disso, 43 famílias atingidas também foram contempladas com os kits limpeza, kits de acolhimento e cestas básicas.

As equipes da Prefeitura de Teresina, que incluem Semcaspi, SDU’s e Semduh continuam no local, garantindo o auxílio à população e realizando trabalho de coleta nos pontos de arrecadação, localizados na Praça do Parque Rodoviário e na Igreja Católica. “Estamos garantindo um acolhimento digno para essas famílias que perderam suas residências, através do Cidade Solidária. As equipes estão trabalhando incansavelmente para garantir o auxílio necessário aos teresinenses vítimas do período chuvoso. Na medida que se valoriza quem abriga e fortalece a solidariedade, ao mesmo tempo se evita que as pessoas vítimas de um infortúnio dessa natureza fiquem no relento, sem nenhum acolhimento”, afirma o secretário Samuel Silveira.

A população pode tirar dúvidas sobre o Cidade Solidária entrando em contato com a Gerência de Proteção Social Básica (GPSB), por meio do 3215-7593.

Sobre o programa

O Cidade Solidária atende famílias em situações emergenciais de desabrigamentos, em consequência das chuvas, infortúnios, incêndios, alagamento, transbordamento de rios ou lagoas ou ainda, situações de vulnerabilidades temporárias. O trabalho é executado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), das Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDU’s) e Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR).