Notícias em destaque na página inicial

Mais de 230 famílias teresinenses recebem apoio através do Programa Cidade Solidária

Famílias acometidas por enchentes, incêndios, alagamentos e outros infortúnios seguem contando com atendimento emergencial por parte do Programa Cidade Solidária. Segundo o mais recente levantamento divulgado pela Gerência de Proteção Social Básica (GPSB) da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), 231 famílias estão inclusas em um dos dois eixos de atuação do projeto de acolhimento: Residência Solidária e Família Solidária. Devido às circunstâncias atuais de pandemia, o plano de trabalho da articulação, que busca evitar as situações de aglomeração causadas pelo acolhimento coletivo vem assumindo nova relevância.

Segundo Kania Brito, coordenadora da GPSB da Semcaspi, os números correspondem à última folha de pagamento do mês de fevereiro. A previsão é que estes se elevem ainda mais, em decorrência das fortes chuvas que vêm acometendo a capital. “Estamos aguardando os cadastros das novas famílias atendidas, que serão enviados pelas Superintendências de Desenvolvimento Urbano”, explica Kania.

As novas famílias poderão ou indicar uma família para realizar o seu acolhimento, mediante recebimento de bolsa, ou direcionar auxílio-aluguel para família locadora de uma nova residência segura. O período de quarentena vem dando preferência a operacionalização do segundo caso. O cadastro pode ser realizado após solicitação de visita da Defesa Civil Municipal, que identifica as situações de risco e realiza as remoções, juntamente com a equipe dos CRAS e das SDUs.

Os Centros de Referência em Assistência Social fazem parte da equação identificando as demais necessidades do grupo familiar; caso se identifique o cenário das mesmas, também são oferecidas cestas básicas, kits acolhimento e kits de limpeza. Embora os servidores da Semcaspi e suas unidades, entre elas os CRAS, cujos atendimentos de natureza coletivas estão em suspensão, estejam funcionando em escala de trabalho para manutenção dos serviços essenciais à população, as equipes que operam o Cidade Solidária seguem trabalhando na normalidade, sendo tomadas as devidas medidas de segurança.

“Nossas equipes seguem em atividade, articuladas com as SDUs, para oferecer o atendimento essencial que essas famílias precisam. Estamos garantindo sua dignidade frente a esses infortúnios, adotando as medidas de higienização e distanciamento necessárias para que nossos colaboradores e usuários estejam seguros”, explica o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira. “Pedimos que o resto da população continue cumprindo as medidas de quarentena, de forma que aqueles que têm de continuar na rua, atendendo à população, corram menos risco”.

A Defesa Civil também segue suas atividades, em plantão, para assegurar que as famílias possam seguir a quarentena em residências seguras. A população pode solicitar a Defesa através de ligação gratuita para o 153. Também se pode conhecer mais sobre o Cidade Solidária por meio do número (86) 3215-7593 ou do site e das redes sociais da Semcaspi e da Prefeitura de Teresina.

Prefeitura cria Programa Teresina Solidária para arrecadar alimentos durante pandemia

A Prefeitura de Teresina lançou, nesta sexta-feira (27), uma ação de apoio emergencial destinado aos trabalhadores autônomos, que suspenderam suas atividades em cumprimento a medida de combate ao novo Coronavírus. Chamada de Teresina Solidária, a iniciativa pretende mobilizar a população, a partir deste sábado (28), para fazer doações de gêneros alimentícios e cestas básicas através de uma plataforma que vai articular as ações do poder público municipal e da sociedade civil.

“Essa crise afetou principalmente os trabalhadores autônomos e pessoas de baixa renda. Precisamos apoiar essa parcela da população que mais precisa de ajuda nesse momento”, ressaltou o prefeito Firmino Filho.

As famílias poderão requerer o benefício a partir de amanhã (sábado) por meio de uma plataforma de cadastro que será disponibilizado no site da Prefeitura (www.pmt.pi.gov.br), colocando suas informações socioeconômicas básicas. As declarações passarão pela análise de técnicos da Secretária Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI).

Quem quiser ajudar, seguindo as orientações de prevenção, pode levar suas doações a partir de amanhã (28) em dois pontos de recolhimento, no horário das 8h às 13h: o Centro Paroquial de Fátima, localizado na Praça D. Avelar – Bairro de Fátima e o depósito da SEMCAPI, na Rua Pedro Freitas, nº 1995 – Bairro São Pedro. Todo o trabalho dos envolvidos na ação será feito por escala e com uso de equipamentos de proteção individuais recomendados pelos órgãos de saúde.

“Os donativos serão entregues às famílias pela rede de solidariedade cumprindo todo o protocolo de higienização pelas equipes da organização, formadas por servidores do município e representantes de entidades de assistência social”, afirma o secretário Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira

Para a coordenadora do comitê, Janaína Carvalho, a ação é de extrema importância nesse momento de mudança na rotina das famílias. “Muitos trabalhadores perderam a capacidade de provisão das suas famílias. Os efeitos do atual contexto apresentado exigem de todos nós uma sensibilidade e uma atitude de solidariedade”, ressalta.

O trabalho de mobilização e divulgação será feito pelas redes sociais, imprensa e ainda contará com o apoio de entidades não-governamentais, líderes religiosos e com o Teresina Transforma, plataforma de voluntariado que já conta com 700 inscritos (teresinatransforma.pmt.pi.gov.br). Para mais informações, foram disponibilizados os telefones: (86) 3131-4729 e (86) 3131-4730.

A coordenação do programa está a cargo de um comitê formado pelas secretarias de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), Fundação Wall Ferraz (FWF), Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) e Prodater. Nesta ação, a sociedade civil e ONG´s serão representadas pela Associação Social Arquidiocesana (ASA).

 

Covid-19: Abrigos fazem trabalho de conscientização com os Venezuelanos

Técnicos da Fundação Cajuína responsáveis pela manutenção dos abrigos do CSU do Buenos Aires e do Piratinga, que estão acolhendo os venezuelanos em Teresina, fizeram uma série de atividades para explicar sobre o trabalho de prevenção devido à pandemia da Covid-19.

Nos últimos dias, os profissionais estiveram nos espaços colocando cartazes com ilustrações na língua original da etnia “Warao” e ministraram palestras explicando sobre a pandemia e as medidas tomadas pelo município. As equipes contaram com o apoio da Antropóloga Lilia Gabriela Castelo Branco e do professor venezuelano, Yovini Eulálio, que é morador de um dos abrigos.

De acordo com Mayra Veloso, gerente de Proteção Social Básica (GPSB) da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI), as atividades diárias que estão sendo desenvolvidas nos abrigos fazem parte das medidas de conscientização da doença que foram tomadas pelo poder público nos últimos dias na cidade de Teresina.

“Cada abrigo tem uma equipe específica que faz o monitoramento diário das atividades que necessitam ser desenvolvidas dentro dos espaços. Estamos fornecendo toda a estrutura necessária para que seja feita da melhor forma possível e consiga fazer esse trabalho de prevenção com os venezuelanos“, disse a gerente.

Os venezuelanos tiveram acesso às informações sobre a doença através de vídeos e métodos de prevenção por meio de aulas de higienização das mãos, explicações sobre o isolamento social e de atendimento médico aos que apresentarem algum sintoma da doença.

“Nós mostramos vídeos e eles também tiveram acesso a outras informações com os venezuelanos que estão sendo acolhidos em outros estados. Fizemos ainda as palestras no espanhol e o professor Yovini Eulálio fez a tradução para a língua original deles, para que todos compreendessem o que estava sendo ministrado e adotassem uma nova rotina de cuidado e prevenção”, disse Maria Gorete, coordenadora do abrigo Piratinga.

Além das palestras, vários materiais explicativos foram espalhados pelos abrigos para que haja uma interiorização maior das informações e as crianças receberam alguns brinquedos educativos para manter as atividades lúdicas dentro dos espaços.

“Explicamos a proibição na entrada de pessoas que não foram chamadas pela coordenação dos abrigos e de maneira bem interativa sobre como se deve manter as mãos higienizadas, porque alguns deles ainda saem para comprar algum produto nos estabelecimentos comerciais da região. A equipe também conversou com eles sobre a necessidade de uma ajuda médica emergencial, caso algum sintoma seja constatado dentro do abrigo. Apesar da resistência inicial, eles acolheram todas as informações, perceberam a gravidade da pandemia e demonstraram cooperação”, explicou Ana Luiza Martins, coordenadora do Abrigo do CSU no bairro Buenos Aires.

Os migrantes indígenas da etnia Warao chegaram a Teresina no dia 13 de maio de 2019 e estão refugiados devido à crise econômica e política na Venezuela. Atualmente, 193 venezuelanos estão sendo acolhidos nos dois abrigos.

 

Guarda Municipal interdita mais de 950 estabelecimentos abertos de forma irregular

O levantamento feito pela Guarda Civil Municipal (GCM) apontou que nos últimos dois dias 396 estabelecimentos foram fechados em Teresina. Desde sábado (21), 959 foram interditados pelas equipes da GCM que estão trabalhando em toda a zona urbana da cidade. Os dados mostram ainda que foram feitas 823 denúncias pela população através do aplicativo “Colab”, telefones e redes sociais da Prefeitura de Teresina.

Acompanhando pessoalmente as abordagens, o secretário Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI), Samuel Silveira, afirmou que algumas pessoas seguem desrespeitando o Decreto Municipal 19.540 e ainda não conseguiram compreender a necessidade do isolamento social como forma de prevenção do Covid-19.

“A gente tem reforçado em todas as abordagens a necessidade do cidadão de ficar em casa. É preciso evitar qualquer tipo de aglomeração que possa fazer a propagação do vírus. Nós colocamos todas as ferramentas que temos por meio da tecnologia a disposição da população para que possa denunciar”, disse o secretário.

Os estabelecimentos que não respeitarem o decreto do prefeito Firmino Filho estão sujeitos a fechamento permanente através da cassação do alvará e a aplicação de multa.

“Não esperamos chegar a uma medida drástica como essa de fechamento permanente dos estabelecimentos, mas pedimos a colaboração das pessoas para que assim a gente consiga evitar a propagação do vírus em nossa cidade”, explicou.

Para formalizar a denúncia, a população pode utilizar o aplicativo de celular “Colab” e os telefones 153, (86) 3215-9317 ou falar diretamente com o WhatsApp da Guarda Municipal, por meio do número (86) 99438-0254.

O decreto municipal determina a suspensão do funcionamento de todos os estabelecimentos comerciais, de serviços e industriais, bem como as atividades da construção civil, com exceção apenas de alguns serviços essenciais. O decreto estabelece, ainda, que fica permitido o funcionamento de setores administrativos de alguns estabelecimentos, desde que seja realizado remoto e individualmente. Farmácias, supermercados e os serviços de saúde permanecerão abertos, assim como os deliverys. Os postos de gasolina deverão funcionar das 7h às 19h, com a suspensão do funcionamento das lojas de conveniência localizadas nesses locais. A intenção é manter todos que podem estar em casa durante esse momento de calamidade seguros das várias e fáceis formas de contágio pelo Covid-19.

Defesa Civil segue removendo famílias de áreas de risco e garantindo quarentena segura

Em período de quarentena, a permanência em uma residência segura se torna ainda mais imprescindível. Neste sentido, um total de 121 famílias já foram removidas de áreas de risco e feito o seu encaminhamento ao programa de acolhimento emergencial, o Cidade Solidária. As solicitações por parte da população devem ser feitas através de ligação gratuita para o número 153.

A Defesa Civil Municipal (DCM) e vários outros órgãos do poder público como Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) e dos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) vem se articulando de forma ainda mais intensa, de forma que se enfrentem as consequências das fortes chuvas que vem acometendo a capital e elevando o nível da água do rio Poty.

“Atingimos esse número de remoção em um curto espaço de 10 dias. O trabalho continua ocorrendo, mesmo com a tendência de queda no volume dos rios. Nossas equipes estão atentas fazendo esse atendimento diariamente”, explicou o secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira.

As últimas remoções aconteceram no Povoado Santa Luz, na zona Rural de Teresina, onde duas famílias encontravam-se completamente ilhadas. A ação foi integrada ao CRAS São Vicente e contou com apoio de uma equipe de Bombeiros Civis voluntários. No mesmo dia, a Defesa Civil emitiu notificações a mais 12 famílias.

“Tivemos a participação da liderança comunitária, dos motoristas da Superintendência de Desenvolvimento Rural, e dos Bombeiros Civis. Todos desempenharam papel muito relevante de ajuda comunitária. Sem eles, não teríamos tal êxito nessa missão. Nossa gratidão a essa equipe!”, destacou o tenente Antônio Linhares, da Defesa Civil Municipal.

As famílias são levadas a novas residências através do programa Cidade Solidária, no qual se é oferecido o auxílio-aluguel para locação de um espaço mais seguro. As equipes dos CRAS participam identificando as demais necessidades e realizando a distribuição de cesta básica, kit acolhimento e kit limpeza, conforme o cenário observado.

“Procuramos essas residências para que não se levem esses grupos familiares para locais de concentrações de público, em abrigos coletivos, justamente para mais uma prevenção ao Covid-19. Trabalhamos também para que se evite a propagação dessa pandemia”, detalhou Linhares. As equipes vêm atuando pautadas pelas recomendações de higiene reforçadas, no âmbito municipal, pela Fundação Municipal de Saúde.

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) reforça que os servidores da sede e unidades de referência estão funcionando em escala de trabalho para manutenção dos serviços essenciais à população. Lembra ainda que servidores dos grupos de risco foram afastados, conforme orientações das autoridades de saúde e por meio do Decreto Municipal nº 19.531 de 18 de março de 2020, que declara situação de emergência em saúde pública no município. A Defesa Civil segue em regime de plantão, oferecendo atendimento que pode e deve ser solicitado através do 153.

 

Quarentena: Guarda Municipal interdita 521 estabelecimentos irregularmente abertos no fim de semana

Entre as medidas protetivas por conta da pandemia do Covid-19, a cooperação da população por meio da quarentena destaca-se como uma das mais importantes ferramentas no combate à transmissão do vírus. O Decreto Municipal 19.540 fortalece essas articulações, estabelecendo a suspensão do funcionamento de estabelecimentos comerciais, de serviço e industriais. A medida vem tendo seu cumprimento fiscalizado pela Guarda Municipal de Teresina, que só neste fim de semana realizou a interdição de 521 locais abertos irregularmente.

Segundo o secretário municipal da Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira, que vem acompanhando diretamente as operações, a fiscalização continua durante toda a semana e pelo tempo que se fizer necessária. “A ação vem ao encontro do enfrentamento ao coronavírus e nos deixa muito angustiados ver que algumas pessoas ainda não têm dimensão desse problema. Estamos fazendo valer a proibição de aglomerações e dos decretos, tanto municipal quanto estadual”, assegurou. A previsão é de que haja um patrulhamento mais intenso ainda no centro da capital.

Essa necessidade de cumprimento da medida de saúde pública por todos, de forma que se achate a curva de transmissão do Covid-19, vem sendo reforçada por parte mais consciente da população, que vem denunciando as aglomerações observadas e os estabelecimentos de caráter não essencial. As denúncias podem ser feitas através dos canais disponibilizados pela Semcaspi, como os telefones 153 e o (86) 3215-9317. A população pode ainda entrar em contato diretamente com o whatsApp da Guarda Municipal, por meio do número (86) 99438-0254.

Segundo Lorena Silva, agente do comando da GCM, o órgão vem recebendo cerca de 15 denúncias a cada 10 minutos. “Se antes recebíamos cinco chamadas por dia, com essa situação pandêmica elas passaram para quase 300 por dia. Temos no mínimo uma equipe por zona e estamos atendendo a todas as solicitações que recebemos”, detalha.

O aumento das demandas trouxe novas organizações de escala e novas preocupações sanitárias: as viaturas estão sendo higienizadas com frequência ainda mais assídua e todos os agentes foram aparelhados com luvas, máscaras e álcool em gel. “Reestruturamos nossa troca, mudamos nossa logística e adaptamos o serviço, tudo pelo bem do cidadão, sem deixar de lado a segurança dos guardas”, pontua Lorena.

Segue permitido o funcionamento de setores administrativos de alguns estabelecimentos, desde que seja realizado remoto e individualmente. Farmácias, supermercados e os serviços de saúde permanecerão abertos, assim como os deliverys. Os postos de gasolina deverão funcionar das 7h às 19h, com a suspensão do funcionamento das lojas de conveniência localizadas nesses locais. A intenção é manter todos que podem estar em casa durante esse momento de calamidade seguros das várias e fáceis formas de contágio pelo Covid-19.

“Pedimos a colaboração da população, que deve evitar frequentar lugares que não tem uso essencial. A Guarda Municipal está contribuindo para que se perca a menor quantidade de vidas possíveis, mas também precisamos que o cidadão faça sua parte”, finalizou Lorena.

 

População pode denunciar descumprimento de decreto através do WhatsApp

A Guarda Civil Municipal disponibilizou o número de WhatsApp (86) 99438-0254 para denúncias de descumprimento do decreto 19.540, que suspendeu o funcionamento de bares, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais em Teresina. O documento foi assinado no último sábado pelo prefeito Firmino Filho como medida de prevenção contra o novo Coronavírus.

O secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), Samuel Silveira, explicou que no primeiro dia de patrulhamento, a Guarda Civil fechou 214 estabelecimentos comerciais e que o novo número foi disponibilizado para que as viaturas tenham mais celeridade no atendimento das denúncias.

“Agora, a população pode utilizar o número de WhatsApp direto da Guarda Civil Municipal para denunciar os estabelecimentos que estão desrespeitando essas medidas de segurança”, explicou o secretário ao destacar que, nesta segunda-feira (23), a Guarda Municipal vai intensificar a fiscalização no centro comercial da cidade.

Além do WhatsApp, o cidadão ainda pode utilizar os números 153 e (86) 3215-9317 para entrar em contato diretamente com a Prefeitura de Teresina e repassar as informações de estabelecimentos que permanecem abertos irregularmente.

“Nossas viaturas estão rodando por toda a cidade para reforçar que todas as pessoas permaneçam em suas casas como forma de prevenção ao Covid-19. Os agentes estão percorrendo diversos lugares que possuem a aglomeração de pessoas explicando essa necessidade de saúde pública”, acrescentou.

O decreto estabelece que fica permitido o funcionamento dos setores administrativos, desde que seja realizado remoto e individualmente. Farmácias, supermercados e os serviços de saúde permanecerão abertos, assim como os deliverys. Os postos de gasolina deverão funcionar no horário de 7 às 19h, com a suspensão do funcionamento das lojas de conveniência localizadas nesses locais.

O funcionamento de bancos e lotéricas não serão afetados, mas deve ser respeitado e cumprido um limite máximo para acesso e distância mínima de dois metros entre as pessoas. Em caso de descumprimento das regras, serão aplicadas, de maneira cumulativa, multa, interdição total da atividade e cassação de alvará de localização e funcionamento.

Covid-19: Guarda Civil Municipal faz patrulhamento para garantir cumprimento de decreto em Teresina

Para garantir o cumprimento do decreto municipal 19.540, a Guarda Civil fechou hoje em Teresina 214 estabelecimentos que estavam abertos, desobedecendo às medidas de segurança na saúde pública em decorrência da pandemia da Covid-19, declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Entre as outras medidas emergenciais adotadas pelo município, a Prefeitura de Teresina disponibilizou o número 153 e (86) 3215-9317 para recebimento de denúncias por parte da população.

O decreto municipal determina a suspensão do funcionamento de todos os estabelecimentos comerciais, de serviços e industriais, bem como as atividades da construção civil, com exceção apenas de alguns serviços essenciais. O decreto estabelece ainda que fica permitido o funcionamento dos setores administrativos, desde que seja realizado remoto e individualmente. Farmácias, supermercados e os serviços de saúde permanecerão abertos, assim como os deliverys. Os postos de gasolina deverão funcionar no horário de 7 às 19h, com a suspensão do funcionamento das lojas de conveniência localizadas nesses locais.

O secretário da Semcaspi, Samuel Silveira, explicou que a Guarda Civil faz parte do grupo de serviços essenciais de segurança à população e que as equipes estão atuando junto com a Polícia Militar do Piauí, fazendo o patrulhamento ostensivo para orientar à população sobre a necessidade de isolamento como forma de evitar a proliferação do vírus.

“O plantão vai continuar por todos esses dias, para que as pessoas compreendam a necessidade de cumprimento do decreto municipal. Nós disponibilizamos dois telefones para que o cidadão possa denunciar qualquer estabelecimento que estiver aberto irregularmente e descumprindo a decisão. A Guarda Municipal vai colaborar com a vistoria e buscar uma forma de impedir a propagação do vírus na cidade”, disse o secretário.

Como não teve suas atividades paralisadas por conta do Covid-19, a GCM vem adotando uma série de medidas para garantir a proteção não só do cidadão, como de seus agentes. Desde a semana passada, a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI) disponibilizou várias garrafas de álcool gel, luvas e máscaras para que sejam usadas durante o patrulhamento ostensivo.

“Cada guarda recebe no início do seu plantão um vidro cheio de álcool gel, duas máscaras e luvas para garantir a sua segurança durante o patrulhamento ostensivo. Além disso, nós liberamos as guardas que estão grávidas por estarem no grupo de risco e explicamos a necessidade de distanciamento físico um do outro para evitar qualquer possibilidade de contagio da doença”, explicou Lorena Silva, agente do comando da Guarda Civil Municipal.

Na próxima segunda-feira (23), a Guarda Municipal vai intensificar a fiscalização no centro comercial da cidade, para garantir o cumprimento do decreto que foi assinado pelo prefeito Firmino Filho.

Mais de 100 famílias são retiradas de áreas de risco em Teresina

A Prefeitura de Teresina tem intensificado o trabalho de assistência e atendimento às famílias em situação de risco por conta das chuvas e cheias dos rios na capital. Apesar do momento delicado contra a pandemia do vírus Covid-19, as equipes da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) e Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) seguem trabalhando para auxiliar as famílias que têm suas casas comprometidas com as chuvas. Nos últimos três dias, 116 famílias foram removidas dos locais de risco. Somente a zona sudeste concentra 59% dos casos de desabrigamento, seguido da zona sul com 27%.

A Defesa Civil está atuando junto às SDUs e Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) de todos os territórios de Teresina para que as famílias que precisam ser retiradas das áreas afetadas possam ser devidamente atendidas. “Nós criamos um protocolo de atendimento em decorrência das enchentes. A Semcaspi, por meio das Gerências de Proteção Social, Defesa Civil e CRAS, está realizando a identificação destas famílias e dando os encaminhamentos junto as SDUs para que elas sejam inseridas no Programa Cidade Solidária, caso precisem ser removidas do local. A gestão da secretaria está dando todo o apoio, todo o suporte organizacional para que essas equipes atuem em todos os territórios”, afirma o secretário Samuel Silveira, da Semcaspi.

O tenente Antônio Linhares da Defesa Civil Municipal afirma que os volumes dos rios estão sendo monitorados diariamente. “Segundo o último boletim que recebemos as medições apontam a redução dos níveis de água nos rios. E, desde que não haja aumento de chuva nas bacias dos rios, a tendência é diminuir os infortúnios. O que temos identificado são muitos alagamentos nas regiões ribeirinhas do rio Poti bem como alagamentos e desabamento de imóveis próximo a córregos e galerias. A população pode acionar o atendimento da Defesa Civil por meio do número 153”, disse.

As equipes dos CRAS, compostas por assistentes sociais, psicólogos e servidores, estão todas em campo, mobilizadas para atuar nesse momento de atendimento emergencial às famílias. “A primeira preocupação está em retirar as famílias dos locais de risco. As equipes de CRAS vão diretamente nos locais e buscam conscientizar as famílias para que elas aceitem sair de suas residências explicando que a vida delas está em risco. Após isso, as equipes explicam o benefício Cidade Solidária e também ajudam as essas pessoas a procurar residências para acolhimento ou aluguel. As equipes também identificam a necessidade das famílias em receber outros benefícios ofertados pela Semcaspi, como cesta básica, kit acolhimento e kit limpeza”, explica Larissa Rêgo, assistente social da Gerência de Proteção Social Básica da Semcaspi.

A Semcaspi reforça que os servidores da sede e unidades de referência estão funcionando em escala de trabalho para manutenção dos serviços essenciais à população. Lembra ainda que servidores dos grupos de risco foram afastados, conforme orientações das autoridades de saúde e por meio do Decreto Municipal nº 19.531 de 18 de março de 2020, que declara situação de emergência em saúde pública no município. Destaca também que as equipes de operação do Programa Cidade Solidária estão trabalhando em consonância com as recomendações de prevenção da propagação do Covid-19.

 

64 famílias são removidas de áreas de risco em Teresina

Técnicos da Defesa Civil e das Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDU’s) estiveram na manhã desta quarta-feira (18) fazendo a remoção de 64 famílias que se encontravam em áreas de risco de enchentes em Teresina. Todo o trabalho foi acompanhado pelo secretário de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI), Samuel Silveira.

De acordo com o levantamento feito pela Defesa Civil, 28 famílias foram removidas na Vila Beira Rio, próximo a Curva São Paulo. Foram retiradas ainda 32 que estavam na Terra Prometida, na zona Sul de Teresina e 04 no bairro Poty Velho, na zona Norte da capital.

Nós percorremos todas as áreas que sofreram algum tipo de alagamento por conta do aumento do nível dos rios nos últimos dias. A remoção dessas 64 famílias mostra que a estratégia preventiva adotada pela Prefeitura de Teresina foi acertada. Essas pessoas serão incluídas no programa Cidade Solidária que passará a atender mais de 360 famílias desde o início do período chuvoso em Teresina”, disse o secretário.

Em paralelo ao trabalho da Defesa Civil, os técnicos das SDU’s também participaram da remoção e fizeram um pré-cadastro das famílias para a inclusão nos programas sociais existentes, no intuito de evitar qualquer tipo de aglomeração de pessoas nos colégios e em outros espaços públicos, devido a política de prevenção ao novo coronavírus.

O nível dos rios tiveram uma redução, apesar da chuva que atingiu a cidade de Teresina na noite de ontem. No entanto, como política de prevenção da Prefeitura de Teresina, nós conseguimos fazer a remoção dessas famílias e a inclusão no programa Cidade Solidária, onde elas ficarão abrigadas em casa de parentes ou no aluguel de algum outro imóvel durante esse período chuvoso. Novos atendimentos estão sendo programados em outras zonas da cidade para evitar qualquer tipo de transtorno nos próximos dias”, explicou Deolindo Nascimento, coordenador da Defesa Civil Municipal.

Além do apoio financeiro, o Comitê de Gerenciamento de Crise da Semcaspi vai dispor de kits de acolhimentos, higiene, limpeza e alimentação para atender a demanda das vítimas. Para fazer o acionamento da Defesa Civil,  a Prefeitura de Teresina disponibiliza para a população o número 153. A ligação para o número é gratuita e permite que os teresinenses solicitem ao órgão o monitoramento, que pode ajudar na identificação e remoção das áreas de risco.