Representantes da Secretária de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) estiveram reunidos, nesta segunda-feira (9), com as entidades envolvidas no acolhimento e atendimento dos imigrantes venezuelanos em Teresina.

Na oportunidade, o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira, expôs as dificuldades encontradas na manutenção dos abrigos, pois, segundo ele, o Governo Federal ainda não encaminhou os recursos obrigatórios e os abrigos estão sendo mantidos pela Prefeitura de Teresina.

“A Prefeitura tem cumprido o seu papel de dar acolhimento humanitário e assistência institucional aos migrantes, no entanto, os repasses do Governo Federal para a manutenção dos abrigos e o atendimento aos venezuelanos estão pendentes. Além disso, a reforma do abrigo do CSU Piratinga, cujo Governo do Estado havia se comprometido de fazer, também não aconteceu”, afirma Samuel Silveira.

O secretário também destacou que é imprescindível agilizar estes repasses para viabilizar uma melhor gestão dos abrigos. “É de suma importância a garantia de estabilização e inserção destes refugiados, adultos e crianças, na comunidade através do mercado de trabalho e da escola, mas para isso são necessários recursos para custeio de documentos de identificação”, explica o secretário Samuel Silveira.

A reunião aconteceu na SASC e contou com participação do representante da Agência da ONU para refugiados (Acnur), Sebastian Roa, e de entidades como a Cáritas Arquidiocesana, a Fundação Nacional do Índio, Pastoral do Povo de Rua, Pastoral do Imigrante, entre outras.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).