Notícias em destaque na página inicial

Encontro entre gerações fortalece vínculos no CRAS Sudeste IV

A tarde da última quarta-feira (18) foi de muita diversão, dança e, principalmente, interação entre pessoas de distintas idades no Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Sudeste IV – Cidadania em Campo, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). Isso porque foi realizado um Encontro Intergeracional com uma Festa Junina na instituição.

A atividade envolveu os usuários do Cras. “Dentro do serviço de convivência, o objetivo do trabalho é o fortalecimento dos vínculos. Quando a gente tem a oportunidade de trabalhar dentro dos serviços faixas etárias diferentes – com crianças, adolescentes, idosos – o fortalecimento fica mais evidente. E todos participando da mesma atividade mostram que é possível a convivência com o diferente”, destaca Kânia Brito, gerente de Proteção Social Básica (GPSB).

Outra forma de lazer nos centros de convivência são as Colônias de Férias, ofertadas nas duas últimas semanas do mês de julho, em 23 centros de convivência da capital. As atividades contemplam crianças, adolescentes, adultos e idosos. Bastando apenas que o interessado procure a unidade e declare interesse em participar das ações.

Os SCFVs são referenciados aos Centros de Referência da Assistência Social. Ao longo do ano, as unidades ofertam ações que visam desenvolver as potencialidades e capacidades dos usuários, atendendo, prioritariamente, pessoas que estejam vivenciando situações de vulnerabilidade, risco pessoal ou social.

Para mais informações sobre os CRAS,você pode entrar em contato com o Cras de sua região:

Zona Leste: Cras Leste I: 3215-9215; Cras Leste II: 3231-4211; Cras Leste III: 3234-5573; Cras Leste IV: 3233-7101; Cras LesteV: 3231-2610;

Zona Sul: Cras Sul I: 3219-2763; Cras Sul II: 3215-4214; Cras Sul III: 3220-5405; Cras Sul IV: 3218-1363; Cras Sul V: 3220-9517;

Zona Sudeste: Cras Sudeste I: 3215-7648; Cras Sudeste II: 3236-2626; Cras SudesteIII: 3237-4191; Cras Sudeste IV: 3235-9800;

Zona Norte: Cras Norte I: 3215-4155; Cras Norte II: 3217-4258; Cras Norte III: 3214-2031; Cras Norte IV: 3234-8110; Cras Norte V: 3219-3005.

Guarda Municipal de Teresina prende dois suspeitos de roubos de celulares na capital

Nessa quarta-feira (18), a Guarda Municipal de Teresina, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), contribuiu com a prisão de dois homens, de iniciais J.A.B.D.A, 22 anos, e B.G.F.J, 18 anos, suspeitos de realizar roubos de celulares. A ação em conjunto com a RONE ocorreu próxima a um shopping na zona Norte da capital

A Guarda deu apoio tático às viaturas que já se encontravam no local e, assim, conseguiram capturar os dois suspeitos. Um deles ainda empreendeu fuga a pé, se escondendo em um terreno baldio, mas foi capturado. Na ação, também foi apreendida a moto que se encontrava com os suspeitos, um revólver calibre 32, oito celulares e dois relógios.

“Nessa ação, vemos, mais uma vez, a importância da Guarda Municipal de Teresina, que trabalha, também, para dar maior segurança à população. E, quanto mais instituições trabalhando com esse fim, unidas, contribuímos com uma maior proteção à nossa sociedade. Vale destacar que, para contato com a GCM, a população deve ligar para o número 153”, comenta o capitão Monteiro Silva, comandante da Guarda.

Atualmente, o órgão atua nas praças da Bandeira, Rio Branco, Fripisa e dos Skatistas; Parques Lagoas do Norte, Parque Estação da Cidadania e Parque Encontro dos Rios; Centro Unificado de Esporte e Lazer (CEU) Sul e Norte e Complexo Esportivo José Ponce Filho (Parentão); além do Centro Pop, Restaurante Popular de Teresina, Parque Floresta Fóssil e Corredores e Terminais de Integração do Itararé, do Parque Piauí e Bela Vista.

Crianças da Casa Reencontro ganham biblioteca neste sábado (14)

A leitura é um importante instrumento para o aprendizado e esse meio de educação, agora, fará parte da rotina das crianças atendidas na Casa de Acolhimento Reencontro. Isso porque a instituição receberá a doação de uma biblioteca, neste sábado (14), às 16h. A biblioteca é ofertada pelo trabalho voluntário de membros de uma Igreja que visita o local.

Será um espaço de suma importância, pois terá espaço de leituras, oficinas de grupos, atendimento individual com as crianças. Um espaço lúdico, com cores harmônicas. Importante lembrar que todo esse projeto é de um grupo de voluntários da Igreja Batista, que sonhava em proporcionar momentos relevantes na vida das crianças acolhidas”, comenta Marina Pinheiro, coordenadora da instituição.

A Casa de Acolhimento Reencontro abriga crianças de 0 a 12 anos incompletos, que tiveram a integridade física e afetiva comprometidas devido à violação de direitos. “Mais uma vez é um reconhecimento do nosso trabalho que é executado com excelência e empenho”, acrescenta Marina. A instituição atualmente acolhe 23 crianças e é administrada pela Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

Há três anos, a Casa de Acolhimento atende os menores. Os encaminhamentos para a Casa Reencontro são realizados por meio do Conselho Tutelar. A instituição está localizada na Rua Professor Odilo Ramos, 1501, bairro Morada do Sol. O telefone para contato é 3232-7929.

Nona edição do Vila Bairro Segurança realiza uma prisão por alcoolemia e apreende veículos irregulares

Realizada na madrugada desta sexta-feira (13), a nona edição dos projetos Blitz Sufoco e Teresina Protege – ações do Programa Vila Bairro Segurança – deu continuidade ao trabalho de auxílio à política de Segurança Pública da capital.

Durante a operação, a SDU/Centro-Norte realizou duas notificações a bares por falta de alvará de funcionamento; a Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal registraram 57 abordagens e efetuou uma prisão por alcoolemia. O Conselho Tutelar contabilizou uma abordagem e uma notificação; a Strans e o Detran registraram 158 abordagens, 43 notificações por infração de trânsito, oito remoções e 10 testes de alcoolemia; e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente fez duas notificações a estabelecimentos por falta de licença ambiental.

Coordenado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), o Vila Bairro Segurança tem como objetivo reforçar a segurança nos bairros da capital, por meio dos projetos Blitz Sufoco e Teresina Protege. Os 13 bairros assistidos pelo projeto são: Acarape, Aeroporto, Alto Alegre, Itaperu, Mafrense, Matadouro, Mocambinho, Nova Brasília, Olarias, Parque Alvorada, Poti Velho, São Francisco e São Joaquim.

A população da zona Norte vem contribuindo bastante com as ações do Programa Vila Bairro Segurança, uma iniciativa que, a cada edição, auxilia a política de Segurança Pública em nossa cidade. A intenção do nosso prefeito Firmino Filho é de estender o programa para todas as zonas da capital”, afirma Samuel Silveira, secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas.

Confira mais fotos da nona operação do Vila Bairro Segurança neste link.

Educando para Prevenir trabalha prevenção às drogas com mais de 3.700 crianças

“Eu aprendi que a gente não pode nunquinha aceitar as drogas”. Foi com essa certeza que Isabelle Assunção, de 7 anos, saiu da atividade do Educando para Prevenir, realizada na Escola Municipal Moaci Madeira Campos, na zona Norte de Teresina. Além dela, outras 659 crianças participaram da atividade na escola. No geral, todas as edições do projeto já contemplaram 3.744 crianças.

A ação faz parte da frente de prevenção do Programa Vila Bairro Segurança, realizado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). Durante a atividade, a temática das drogas é debatida de forma lúdica com as crianças, com uma apresentação sobre o tema por duas Guardas Civis Municipais, juntamente com apresentação de Teatro de Bonecos.

Além disso, o projeto também dá voz às crianças, que expressam por meio de desenhos o que sabem sobre a temática. “O Educando para Prevenir é uma estratégia que visa à prevenção as drogas. Fazemos isso de uma maneira sistematizada dentro da rede municipal de ensino, utilizando a Guarda Civil Municipal e por meio de uma linguagem lúdica. Entendemos que, interagindo com a criançada, após o desenho, e submissão à análise técnica com o trabalho de psicólogos e assistentes sociais, realizamos a prevenção”, destaca Samuel Silveira, secretário da Semcaspi.

“Após o recolhimento dos desenhos, que informam pra gente qual nível de conhecimento e inserção as crianças têm dentro do tema, eles passam por análises. Assim, podemos dar resoluções para as questões apresentadas pelas crianças com os equipamentos do território, como os Centros de Referência da Assistência Social (Cras), Centros de Referência Especializados da Assistência Social (Creas) e Conselhos Tutelares”, completa Débora Ferraz, assessora técnica da Semcaspi.

A ação da última terça-feira (10) encerrou o primeiro ciclo de ações do Educando para Prevenir. As crianças com idades entre seis e dez anos, cursam o 1º ao 5º ano, participaram do projeto em 11 Escolas Municipais da zona Norte de Teresina, área de atuação inicial do programa Vila Bairro Segurança. A previsão é que o trabalho agora seja desenvolvido com estudantes do 6º ao 9º ano.

Em quatro anos de reabertura, Restaurante Popular de Teresina serve cerca de um milhão de refeições

Nesta quarta-feira (11), foram comemorados os quatro anos de reabertura do Restaurante Popular de Teresina, completados no último dia 1º de julho. O Restaurante oferece diariamente cerca de mil refeições. De acordo com números divulgados pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), nesses quatro anos foi oferecido cerca de um milhão de refeições para os teresinenses.

A programação contou com o corte de bolo em comemoração à data; apresentação musical de alunos do Projeto Música Para Todos; e distribuição de panfletos informativos sobre formas de garantir uma alimentação saudável. O espaço é administrado pela Fazenda da Paz, unidade que tem convênio com a Prefeitura de Teresina, por meio da Semcaspi.

Temos a certeza de que o Restaurante Popular tem contribuído diretamente com a segurança alimentar de nossa população, especialmente àqueles que transitam pelo centro, durante o horário do almoço, com esses mais de um milhão de refeições distribuídas. A Prefeitura de Teresina está muito contente com a qualidade do serviço prestado para a população, que retribui essa qualidade estando sempre presente aqui neste espaço”, declara o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira.

São cerca de 17 profissionais envolvidos diretamente no Restaurante Popular. Com uma área de 1.146 metros quadrados, o espaço conta com refeitório, composto por 55 mesas, e tem capacidade para receber 286 pessoas ao mesmo tempo. O preço popular e a qualidade da refeição é um dos motivos do grande número de pessoas que almoçam no local, que fica aberto ao público de segunda a sexta-feira, das 11h às 14h.

Quanto ao preparo dos alimentos, o cuidado é desde a chegada até a entrega ao consumidor, como explica Miqueline Fortes, nutricionista do Restaurante Popular. “Quando o lote chega, fazemos higienização e armazenamento. Os cozinheiros são equipados com luvas, máscaras, todo o necessário. Todas as condições de higiene são seguidas, o RP está sempre limpo. E conferimos, constantemente, a temperatura dos alimentos, para ver se está em condições ideais”, destaca a profissional.

Diariamente, 7% das refeições produzidas são distribuídas para pessoas em situação de rua. Trabalhadores formais e informais, desempregados, estudantes, aposentados, beneficiários de programas sociais, pessoas em situação de rua estão entre o público beneficiário do serviço.

Pessoas como Dona Maria do Carmo Rocha, de 74 anos, moradora do bairro Água Mineral. Ela, que é microempreendedora, conta que não pode voltar para a casa para poder almoçar. “É muito econômico aqui. Com o salário que a gente tem, não dá para gastar muito com alimentação e aqui acaba sendo uma boa opção, saudável, rápido atendimento e barato. E hoje ainda está melhor, porque tem um bolo de aniversário depois do almoço”, brinca.

A instituição é administrada pela Fazenda da Paz, assim também propicia a inclusão social, pois emprega egressos do tratamento terapêutico em decorrência do uso de drogas. O Restaurante Popular está localizado na Rua Lisandro Nogueira, com funcionamento no segundo piso do Mercado Central São José, no centro de Teresina.

Guarda Municipal captura assaltante suspeito de realizar assalto na Praça da Bandeira

Nessa terça-feira (10), a Guarda Civil Municipal de Teresina, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) conduziu à Central de Flagrantes um homem suspeito de tomar em assalto o telefone celular de uma mulher na Praça da Bandeira, no centro da capital.

A ação ocorreu por volta das 16h, quando a equipe da Guarda Municipal fazia uma ronda pelo local e se deparou com populares pedindo ajuda. Prontamente, a equipe realizou a ação e encontrou o suspeito nas proximidades do Troca-Troca. O homem ainda pulou no rio para se esconder, mas, ainda assim, foi apreendido.

Essa é mais uma ação que comprova que vem dando certo o trabalho da Guarda Civil Municipal dentro da política da construção de espaços públicos seguros. Assim, a presença da Guarda no centro, mais uma vez, produziu bons resultados e o órgão cumpre seu papel de cuidar do patrimônio público, mas com um olhar bem próximo às famílias e pessoas que circulam nesses locais”, comenta Samuel Silveira, secretário da Semcaspi.

A Guarda Civil Municipal de Teresina atua, primordialmente, na proteção ao patrimônio público e assistência à comunidade. Para contato com  a Guarda Civil a população pode ligar, gratuitamente, para o número 153.

Prefeitura discute monitoramento preventivo contra incêndios no B-R-O-BRÓ

Enquanto o B-R-O-BRÓ não chega, a Prefeitura de Teresina já se articula para discutir e planejar ações de prevenção a incêndios. Um encontro realizado nesta segunda-feira (9), com representantes de vários órgãos do município, discutiu o monitoramento mais rápido dos focos de queimadas, além do processo pelo qual a denúncia vai passar até o atendimento da ocorrência.

A reunião debateu ainda a implementação de tecnologias para uma maior rapidez no monitoramento e atendimento das ocorrências. Esta já é a terceira reunião sobre o tema, com outros encontros realizados entre os órgãos nos dias 25 e 28 de junho, com representantes dos bombeiros civis da capital.

Participaram do encontro, a Defesa Civil Municipal de Teresina, representantes da Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR), de SDUs e também da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semam); que ocorreu na sede da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

Novos equipamentos

Além do planejamento prévio, a Defesa Civil de Teresina já recebeu 102 novas unidades de produtos para auxiliar no atendimento mais eficaz nas ocorrências de prevenção e atendimento a incêndios, enchentes e outros tipos de desastres – naturais ou provocados pela ação humana. São óculos de proteção, enxadas, cones, capacetes Prosafety e Ledan, cintos paraquedistas, mangueiras, pás de bico, luvas, picaretas chibanca, botas com elástico, talabastes e pulverizadores manuais.

Casa de Zabelê abre portas do mercado de trabalho para os atendidos através da profissionalização

O maior objetivo da Assistência Social é garantir direitos para a população. E a intervenção das políticas de assistência na vida daqueles que mais necessitam tem proporcionado a mudança na vida de milhares de teresinenses atendidos pela Rede de Assistência Social de Teresina. Uma dessas belas histórias de transformação é a da Luciene Moreira, de 27 anos.

Luciene, que viveu uma infância pobre na periferia da capital, conta que tinha poucas expectativas de superar as dificuldades financeiras vividas quando criança. “Meu pai era vendedor de rua, ele tinha uma banquinha de bombom e, claro, não dava para nos ofertar uma vida mais digna e com maiores oportunidades. A chance de eu continuar naquele ciclo de pobreza, vivido pela minha família, era muito grande”, lembra.

Certo dia, ela foi abordada por uma vizinha, que fazia parte da equipe da Casa de Zabelê, entidade conveniada à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). “Essa funcionária da Casa de Zabelê perguntou se eu queria participar das atividades desenvolvidas pelo espaço, de capacitação e profissionalização, voltado especialmente pelas mulheres. Eu disse que queria sim, e agarrei o projeto com todas as minhas forças”, relata Luciene.

Lá na Casa de Zabelê, passei quatro anos, sendo que, por dois anos, participei de uma oficina de moda. Foi lá que me profissionalizei. Hoje, tenho o certificado do curso de Corte e Costura que recebi lá. A Casa me abriu as portas para uma oportunidade como Jovem Aprendiz. Agora, colho os frutos da minha passagem pelo espaço, estou trabalhando e já realizei o sonho da casa própria”, conta, orgulhosa do feito.

“Eu tive a minha vida mudada, o meu jeito de ser, de agir e de pensar. Faço de tudo para não deixar meus filhos, Lucas e Talita, trabalharem. Eu posso dar uma vida melhor para eles, com a educação que recebi, e sei que a escola é super importante na vida deles e a profissionalização também, porque abre portas no futuro”, declara Luciene.

A Casa de Zabelê conta com três núcleos de atendimento: Núcleo Direto, que atende a crianças (8 a 11 anos) e adolescentes (12 a 17 anos) do sexo feminino; Núcleo de Dança Contemporânea, que atende a adolescentes do sexo feminino; e Núcleo de Profissionalização em Moda e Serigrafia, para jovens do sexo feminino e masculino (16 a 22 anos). O espaço atende a crianças e adolescentes que sofreram qualquer tipo de violação dos seus direitos sociais e pessoais. O foco no atendimento é em casos de vítimas de violência doméstica e de forma especializada na violência sexual.

A instituição

A Casa de Zabelê surgiu em 1994 e foi promovida pelo Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, frente à situação de violência imposta às meninas que eram exploradas sexualmente nas principais praças de Teresina. Em 29 de agosto de 1996, a Casa de Zabelê iniciou suas atividades, originando-se de uma parceria entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento, Prefeitura Municipal de Teresina e Ação Social Arquidiocesana (ASA).

A instituição é vinculada à Semcaspi. “Nós acreditamos que este trabalho causa o que há de mais importante na vida de uma pessoa, que é a mudança para melhor. A Casa de Zabelê é um exemplo de dedicação e amor ao próximo, de assistência a crianças e jovens que precisam do nosso apoio”, afirma o secretário Samuel Silveira.

Se você souber de casos de violação de direitos de crianças e adolescentes, denuncie pelo Disque 100. Ou então ligue para o número 153, para contato direto com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e o Conselho Tutelar de Teresina. As ligações são gratuitas e o sigilo do nome do denunciante será mantido.

Teresina em Ação: População conta com serviço de mediação e solução de conflitos

Realizado na Praça da Bandeira, no Centro da capital, o projeto Teresina em Ação do último sábado (30) contou, pela primeira vez, com as ações levadas pelo Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI). O órgão disponibilizou os serviços do Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania (CEJUSC) e o Núcleo Permanente de Métodos Autocompositivos de Solução de Conflitos e Cidadania (NUPEMEC).

O órgão ofereceu à população o agendamento de conciliação e mediação pré-processual e processual. Além disso, houve ainda serviços de Cidadania, como Informações e tira-dúvidas sobre mediação judicial, mediação digital e sobre a  plataforma consumidor.gov.br. Ao todo, foram realizadas no local cinco mediações de conflito e pelo menos 50 mediações judiciais já ficaram agendadas.

Para a coordenadora do NUPEMEC, Patrícia Barros, a rapidez da resolução dos conflitos beneficia diretamente a população. “São casos de conflitos diversos, como o divórcio, pensão alimentícia, danos morais. Mas ficamos satisfeitos com o resultado no Teresina em Ação porque demos resoluções rápidas para cinco situações e isso é um número muito grande. E outros 50 já estão agendados e bem encaminhados também. E tudo isso em uma praça pública, acessível a todos que se interessarem em resolver conflitos. É algo que beneficia muito a população que mais precisa dos serviços”, afirma Patrícia Barros.

O evento

Foram cerca de 500 pessoas colaborando com o evento, com mais de 27 instituições presentes. Cerca de 30 tendas espalhadas por toda a praça para levar a população os serviços já oferecidos diariamente. Mais de 37 mil atendimentos foram prestados, dando a 12ª edição o recorde de público em um ano do evento.