Esse projeto veio dar alegria. Quando estou na rua não tenho a felicidade que tenho estando aqui. Já fui dependente químico e o curso me levou a viver mais. Ajudou muita gente e, pra mim, foi uma oportunidade única”. Assim, Francisco Wagner define a importância do curso Arte em Mosaico, ofertado pelo projeto Livre para Viver, no Centro de Referência Especializado para população em situação de rua (Centro POP), vinculado à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

Nesta terça-feira (6), 15 pessoas em situação de rua concluíram o curso, que foi ofertado às terças, quartas e quintas-feiras, pela manhã, no Centro. As aulas, que contabilizaram 80 horas  de instrução, contribuíram tanto para a formação técnica, quanto para o desenvolvimento pessoal, como destaca Aline Kelly de Brito, coordenadora técnica do projeto Livre para Viver.

Além da técnica, o curso oportuniza a autonomia, sensibiliza sobre as situações de risco na rua e leva a uma reflexão, pois também trabalhamos eixos como a cidadania, atrelados ao empreendedorismo. E, ao mesmo tempo em que desenvolvem as ações relativas a oficina, também são acompanhados por técnicos – pedagogos e psicólogos – que trabalham a socialização das pessoas em situação de rua, fortalecimento da convivência entre eles, resgate da autoestima, com vistas ao retorno do convívio familiar e social”, destaca Aline.

Com a conclusão das aulas, a perspectiva é que no mês de novembro seja definido um novo curso para ser ofertado aos usuários.  “Toda ação pública só tem sentido se mudar a vida das pessoas. A felicidade de hoje de manhã foi ver vidas sendo mudadas. O certificado nada mais é que um papel e um conjunto de letras, mas, a partir dele, enxergamos em pessoas em situação de rua, uma oportunidade de melhoria de vida. A partir do aprendizado, que trouxe a formação, podem produzir, comercializar e ter uma nova oportunidade de vida”, comenta Samuel Silveira, secretário da Semcaspi.

O projeto Livre para Viver visa à promoção dos direitos de cidadania para pessoas em situação de vulnerabilidade social, ou que tenha sido usuárias de drogas. O Centro POP oferta o Serviço para População em Situação de Rua, que funciona de segunda a sexta-feira, de 8h às 18h. A instituição também oferta o Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS), que consiste em identificar pessoas em situação de rua, através dos Agentes de Proteção Social (APS), ofertando atendimento. O serviço é prestado de domingo a domingo, nos três turnos.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).