Com o intuito de abordar a proteção das crianças e adolescentes do trabalho infantil, foi realizada, nesta quarta-feira (10) e hoje (11), a primeira ação do ‘Parada Acordar’. A atividade ocorreu, simultaneamente, nas quatro zonas da cidade, entre 7h30 e 9h.

“O trabalho infantil é um fenômeno social que persiste em nossa sociedade, não só em decorrência da situação socioeconômica, mas também tem uma relação direta com aspectos culturais. O trabalho de sensibilização parte do pressuposto de que é preciso chamar atenção, conversar, para que se percebam as consequências do trabalho infantil na vida não só da criança, mas do adulto que a criança se transformará”, comenta Mauriceia Carneiro, secretária-executiva do Sistema Único de Assistência Social (Suas).

O “Parada Acordar” aconteceu nesta quinta-feira (11), véspera de feriado, dentro do Mercado do Dirceu II, na zona Sudeste. Além deste ponto, a ação também promoveu a sensibilização no cruzamento das avenidas Nossa Senhora de Fátima com Senador Joaquim Pires, na zona Leste.

O público-alvo da sensibilização foram os motoristas e a população em geral que estiver nestes locais. A ação é realizada pelo Programa de Enfrentamento ao Trabalho Infantil (PETI), junto com representantes dos Conselhos Tutelares, CRAS, CREAS e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCAT).

Além de levar informação sobre os malefícios do trabalho infantil, a ação ofertou brindes com mensagens de valorização e cuidado em cada etapa da vida. O PETI, organizador da ação, é vinculado à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), sendo responsável por articular o sistema da garantia de direitos em prol da erradicação do trabalho infantil.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).